Negociação na Usina Vale movimenta segundo semestre do Sindalquim

Negociação na Usina Vale movimenta segundo semestre do Sindalquim

Sobre as horas “in itinere”, ele falou sobre a importância de manter o percentual de 18% em cima do salário base de cada trabalhador.

Por:Henrique Fernandes

Depois de aprovar a pauta para negociações, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fabricação de Álcool, Químicas e Farmacêuticas de Rio Preto e Região aguarda a divulgação do INPC para fazer a assembleia de fechamento na Usina Vale, de Onda Verde. A negociação envolve o setor do etanol e segundo o presidente do sindicato, João Pedro Alves Filho, foi feita de maneira consciente. “Fizemos um pedido ‘pés no chão’, a manutenção do acordo anterior e o INPC do período”, disse.

Sobre as horas “in itinere”, ele falou sobre a importância de manter o percentual de 18% em cima do salário base de cada trabalhador. “Uma vontade dos trabalhadores é que não mudasse o percentual. Como as grandes empresas do setor do etanol, principalmente as multinacionais, tentaram de todas as formas na negociação do primeiro de maio”, disse o presidente, que espera que o resultado saia no próximo dia 10 para já poder informar os trabalhadores no dia 11.

Para o setor químico todas as causas sociais estão negociadas para dois anos. Os pedidos do setor estão relacionados à questões econômicas, como ticket alimentação. “No dia 16 vamos negociar essa pauta, vamos trazer o que aconteceu para os trabalhadores e se possível entregar a primeira rodada de negociação”, finalizou o presidente.

Deixe um comentário